Sesc Arsenal oferece oficinas de música gratuitamente

sesc-rev-nom-capa.jpg

Oficina Práticas de Músicas do Mundo com Gabriel Levy

Público de interesse: músicos, cantores, educadores, professores de música rede regular de ensino, estudantes de graduação música.

01 a 05 de agosto (01 a 04 de agosto das 18h às 22h e 05/08 das 14h às 17h)

Número de vagas: 20

A oficina busca promover uma vivência de músicas de diferentes culturas do mundo. De forma prática, envolve movimentos, danças, vivências rítmicas, canto, improvisos, arranjos e execução instrumentos. Busca trabalhar um vasto repertório, do mediterrâneo oriental e Bálcãs, entre outras, ampliando o conhecimento de elementos da música tradicional de diversos povos, buscando compreender na ação suas estruturas musicais.

Gabriel Levy tem uma formação eclética voltada tanto para a música erudita como para música popular. Com uma preocupação voltada para a democratização do fazer musical, vem atuando como educador musical, arranjador e regente coral, produtor e diretor musical de dezenas de cds infantis e adultos, diversos trabalhos voltados para dança brasileira e de várias partes do mundo, música para teatro e performances cênicas. Lecionou para músicos e educadores em inúmeros festivais de música, simpósios de educação musical e cursos de formação no Brasil e no exterior. Como instrumentista trabalhou com grandes nomes da música brasileira e com alguns dos principais trabalhos de word music realizados no país (Mawaca, Mutrib, Orquestra Mundana, Fortuna, etc.) Tem se dedicado à musica instrumental como compositor e acordeonista, tocando em dezenas de países. Recentemente foi co-autor dos 7 livros de Brincadeiras Musicais da Palavra Cantada e lançou seu CD instrumental “Terra e Lua” com suas composições que unem a música brasileira com músicas do mundo.

OFICINA DE VIOLÃO COM ZEZO RIBEIRO (SP)
Público de interesse: instrumentistas, professores e estudantes de música (ênfase no violão)

01 a 05 de agosto das 18h às 22h
Número de vagas: 20

Oficina de violão abordará a produção de conteúdo de um trabalho técnico, porém, totalmente voltado para a valorização da música instrumental brasileira, resultado da conquista de seu espaço no panorama internacional, sendo abordados a música flamenca e a música brasileira: Técnicas do violão flamenco e sua consequente utilização na música brasileira Rasgueos, Picados, tremolos, Arpegios/picados, Golpes que alteram o vocabulário interpretativo do violão na MPB; Diferenças básicas entre o violão flamenco e o violão brasileiro: de atitude e construção; abordando ainda, análise comparativa das diferenças de execução das técnicas do violão brasileiro e do violão flamenco; Movimentos musicais e falseta; Nordeste brasileiro x Andaluzia.

Zezo Ribeiro é violonista experimental paulistano, pioneiro na fusão das técnicas do violão flamenco com jazz, rock e MPB. Com 25 anos de carreira, Zezo Ribeiro consolida-se como um dos grandes músicos, instrumentistas e compositores brasileiros da atualidade por seu trabalho de busca e expansão da linguagem do violão no cenário internacional, com a utilização de diversos aspectos técnicos do violão flamenco, do jazz ao rock e do pop a inovação do sentido melódico de suas composições. O conceito é inovador e foi desenvolvido e amadurecido após 11 anos radicado na Espanha, onde teve a supervisão, de um dos ícones do violão flamenco, Manolo Sanlucar. No início de sua carreira, foi agraciado pela oportunidade de acompanhar e aprender tudo sobre os maravilhosos caminhos das harmonias brasileiras, gracas a generosidade de um dos gigantes da guitarra brasileira, seu amigo e eterno parceiro o gaúcho Olmir Stocker – Alemão. Neste momento Zezo Ribeiro explora novas possibilidades de conceitos sonoros com parceiros como Edu Ardanuy, Mozart Mello, oferecendo a toda uma nova geração de violonistas/guitarristas uma gama infinita de possibilidades de atuação do violão contemporâneo. Zezo Ribeiro, tem lançados 5 cds na Europa pela gravadora Nubenegra – Gandaia, Flamencando, Brincadeira, Casaverde e Turbilhão – com participações de Paulinho da Costa, John Patitucci, Eric Marienthal, Heitor TP, Elba Ramalho, Dominguinhos entre outros. Além dos trabalhos “Solo e muito bem acompanhado” e, o mais recente, “Coração de Melodia”, comemorando 20 anos de carreira como profissional.

OFICINA DE SOPROS COM MARIO APHONSO III (SP)

Público de interesse: instrumentistas, professores e estudantes de música, alunos da graduação. (Ênfase em instrumentos de sopros)

01 a 05 de agosto das 08h30 às 12h30
Número de vagas: 20

A oficina de sopros terá como objetivo central o trabalho, a análise e a utilização das técnicas de emissão e sonoridade aliados ao estudo rítmico, técnico e harmônico dos instrumentos com o intuito de criar uma rotina musical a partir da prática, execução e improvisação dentro das linguagens da música brasileira, do jazz e oriental modal (escalas orientais). O estudo e a compreensão da sonoridade, articulação, execução técnica, visão harmônica e possibilidades rítmicas voltadas ao instrumento melódico e aplicados a um contexto musical são os principais elementos criativos que o curso pretende abordar. Alguns dos assuntos abordados serão: Técnicas de respiração, emissão, projeção, articulação, estudos técnicos escalas ocidentais e orientais (Maqams), Padrões harmônicos, Ritmos do Brasil, Jazz e Orientais, além da, Prática de conjunto e aplicação dentro de um repertório musical voltado aos estilos da música brasileira, Jazz e Oriental.

Mario Aphonso III(Ma3) é multi-instrumentista de sopros (saxofones, flautas, clarinetes e instrumentos orientais). Estudou harmonia, composição e arranjo. Desenvolveu estudos e trabalhos com música eletroacústica e música étnica de várias regiões do mundo, além de atuar como flautista erudito, clarinetista e saxofonista em várias orquestras pelo Brasil.
Ganhou o Prêmio Fiat (1990) com o espetáculo “Mil Pedaços De Brasil”, como co-roteirista, arranjador, diretor musical e ator. Recebeu o Prêmio Jovens Talentos (1991) na área de composição. Compôs trilhas sonoras para espetáculos teatrais e cinema, entre os quais “Un Poquito d’Água” (1995), documentário da Campanha Mundial da Unicef. Atuou em inúmeros shows e gravações com João Donato, Fortuna, Laura Finochiaro, Mutrib, Sopra Madeira, Jorge Marciano Quinteto (indicado ao Grammy Latino), Gabriel Levy e, atualmente, coordena e atua nos projetos: Quinteto Instrumental, Orquestra Oriental Yaqin Ensemble, Zikir Trio, Orkestra Bandida e TarabJazz.

Gravou os cds Melodia dos Ventos (2001), Arabesque (2002), Krishna Lounge (2004) e Dança do Fogo – Arabesque 2 (2006) . Apresentou-se na Europa com o grupo “Ma3 Brasil Trio” executando clássicos da música instrumental em turnê pela Itália.

Trabalhou como compositor, arranjador, produtor e diretor musical de 4 faixas gravadas para o projeto “Orquestra do Mundo” (Itália/Brasil), lançado pela gravadora Warner Music Italy na Europa. Como pesquisador e estudioso da música oriental, pesquisa os fundamentos das linguagens das escalas (maqmat) e os ritmos tradicionais orientais.

OFICINA DE PERCUSSÃO “RITMOVIMENTO” COM SAMI TARIK (RN)
Público de interesse: percussionistas, professores e estudantes de música, alunos da graduação.

01 a 05 de agosto das 14h às 18h
Número de vagas: 20

A Oficina de Percussão Ritmovimento ministrada por Sami Tarik, que se propõe a desenvolver a percepção rítmica através do corpo, tendo como consequência ampliar a percepção do indivíduo em relação ao universo circundante e suas diferentes manifestações rítmicas. A Ritmovimento está formatada para atender público-alvo heterogêneo, formado por músicos e estudantes de música interessados em instrumentos de percussão, sejam estes iniciantes como de nível avançado ou profissional.

Sami Tarik (RN) é cantor, compositor e instrumentista, Sami Tarik repercute a voz do Nordeste, do Brasil e de suas raízes potiguares ao som do pandeiro. Músico desde os 15 anos desde os 15 é licenciado em música pela UFRN. Radicado por mais de dois anos no Oriente Médio, trabalhou em países da Europa e África. Começou sua trajetória acompanhando artistas populares como Khrystal, Xangai, Kátia de França, Renato Braz, Joyce, sem, contudo, sem preterir diversos projetos na área instrumental. Atualmente, o multiartista aproveita a experiência adquirida para lançar seu primeiro disco solo intitulado Executivo do Pandeiro, onde reúne composições inéditas que possuem a presença marcante da sua concepção percussiva para expressar saudade, revolta, humor, amor, entre outros anseios. Também vem realizado trabalhos ao lado de Eduardo Taufic e Humberto Luiz. Criado do Núcleo de Percussão Kizambe.

O Sesc Arsenal funciona:
Terça a Sexta-Feira das 8h às 19h
Segunda-Feira das 8h às 18h
(65) 3611-0550
Rua 13 de Junho s/n – Centro Sul – Cuiabá.

Fonte: sescmatogrosso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *