Fórum irá debater desenvolvimento sustentável do turismo em Mato Grosso

Restaurante-Trapiche-Xaraés-banner.jpg

O Fórum Regional de Desenvolvimento do Turismo Sustentável: Pantanal, Amazônia e Cerrado, será realizado nos dias 20 e 21 de abril, durante a programação da Feira Internacional do Turismo do Pantanal – FIT 2017, no Centro de Eventos do Pantanal. O objetivo é aproximar os gestores públicos e o trade turístico do conhecimento acadêmico sobre o tema.

Organizado pelo Centro de Pesquisas do Pantanal (CPP), ligado à Universidade Federal de Mato Grosso, o Fórum é gratuito e aberto ao público. Será realizado no mesmo espaço da ‘Aldeia do Conhecimento’, montada durante a FIT pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

O Fórum foi pensado para promover uma ampla discussão sobre temas relacionados à sustentabilidade da atividade turística. Servirá como base à gestão municipal e estadual, apresentando demandas do mercado, das entidades de conservação ambiental e atores sociais, proporcionando assim, um alinhamento entre a iniciativa privada, a sociedade civil organizada e o poder público.

De acordo com o fundador do CPP, Paulo Teixeira, o Centro já estuda o turismo na região há mais de 30 anos e decidiu promover o evento para debater temas urgentes ligados aos principais biomas mato-grossenses. “O próprio título do evento já revela o nosso principal objetivo. A ideia é contribuir para que o turismo se dê de forma sustentável baseado no tripé social, econômico e ambiental”, explica.

O Fórum

O Fórum será realizado em um momento propício, uma vez que o turismo vem sendo encarado como instrumento de mudança social e econômica. Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), o turismo figura entre as principais atividades econômicas da atualidade, com um volume de negócios igualando ou até mesmo superando as exportações de petróleo, produtos alimentícios e automóveis, respondendo por aproximadamente 6-7% dos empregos e cerca de 5% da atividade econômica em todo o mundo.

Dando destaque à atividade turística, a Organização das Nações Unidas (ONU), definiu 2017 como o “Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento”, tendo em vista “a importância do turismo internacional e, em particular, a designação de um ano internacional de turismo sustentável para o desenvolvimento, para promover uma melhor compreensão entre os povos em todo o mundo, levando a uma maior conscientização sobre o rico patrimônio das diversas civilizações”.

Programação:

Quinta-feira – 20 de abril

9:30h – Painel: Turismo Como Estratégia de Sustentabilidade Para o Pantanal.
Objetivo: Incluir o turismo na construção e debates sobre a Lei do Pantanal.
Mediador: Profº Drº Sr Paulo Teixeira – Presidente do Centro de Pesquisa do Pantanal

14:30h – Palestra: Projeto de Lei do Pantanal: Oportunidades e Ameaças para o Turismo
Objetivo: Apresentar a minuta da Lei do Pantanal aos atores do turismo e ampliar relevância desta legislação para a sustentabilidade turística (gerar negócios, conservação do meio ambiente e inclusão social).
Palestrantes: Profº Dr. Deodoro José Ugmey Irigarai, especialista jurídico.

16:30h – Palestra: Oportunidades de Novos Produtos Turísticos no Pantanal
Objetivo: Apresentar aos atores do turismo novos formatos de experiência turística em áreas úmidas identificadas em pesquisas de campo.
Palestrantes: Profª Drª Cátia Nunes da Cunha, pesquisadora do INAO

Sexta-feira – 21 de abril

09:30h – Painel: Gestão de Áreas de Conservação com uso Turístico.
Objetivo: Promover uma reflexão por meio da apresentação de case de sucesso em gestão de áreas de conservação ambiental pública e privadas.
Mediador: Rosilda Dalla Riva, consultoria parceira da FGV-PROJETOS Brasil-Alemanha.

19:00h – Palestra Magma: A Estratégia Nacional de Qualificação e Promoção Turística
Objetivo: Apresentar aos atores do turismo as estratégias de promoção e qualificação desenvolvida pelo Ministério do Turismo do Brasil.

Palestrantes: Srª Tete Bezerra, Secretária Nacional de Qualificação e Promoção do Turismo do MTur.

**programação sujeita a alterações

Fonte: Sedec-MT

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *