Câmpus do Araguaia inaugura Museu de História Natural

0
80

Com o objetivo de atender a comunidade externa, principalmente estudantes do ensino básico, de graduação e auxiliar a pesquisa, a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Câmpus do Araguaia, inaugura, em cinco de junho, o Museu de História Natural do Araguaia (MuHNA). A inauguração acontecerá no Espaço Multiuso da Unidade de Barra do Garças, a partir das 19h.

O acervo do museu será composto, a princípio, por três sessões:, uma coleção de rochas, da Geologia, com diversos tipos de minerais da região e de outras localidades, uma coleção de fósseis, da Palaentologia, com espécimes encontradas no próprio Estado e uma coleção de Zoologia, com grande diversidade de insetos e animais taxidermizados. Os visitantes poderão ser guiados por monitores e também por equipamentos interativos como tablets e totens, com informações sobre toda a exposição.

A professora Márcia Cristina Pascotto, uma das coordenadoras do MuHNA, explica que a criação do mesmo se deu por uma demanda interna dos professores de reunirem suas coleções em um ambiente mais adequado para o desenvolvimento de práticas de ensino, pesquisa e extensão. “Nosso objetivo é que se torne um centro de pesquisa reconhecido no futuro e funcione como um ambiente didático para os estudantes da graduação e um laboratório para os da pós-graduação, além de atender a comunidade externa através das visitas guiadas e oficinas”, afirma.

Entre os destaques do Museu está uma Sala dos Sentidos, voltada para a inclusão de pessoas com baixa visão, mas aberta para todo o público, onde os visitantes entrarão vendados e serão guiados por um monitor que indicará como tocar e sentir as peças exposta ali. Também haverá uma grande coleção com peles de animais apreendidas pelos órgãos estaduais e federais de fiscalização do meio ambiente, um diorama do Cerrado, com paisagem e alguns animais típicos da região e a réplica do crânio de um Tiranossauro Rex.

Mesmo antes da inauguração o MuHNA já está recebendo solicitações para visitas guiadas de escolas da cidade e da região. “Esperamos receber milhares de visitantes antes do final do ano. Queremos que o museu transmita o conhecimento científico para a sociedade, para as pessoas que não tem acesso à universidade, de uma forma lúdica e atrativa”, conclui a professora Márcia Pascotto.

O MuHNA estará aberto terças e quintas, voltado principalmente para visitas guiadas das escolas da região e, aos sábados, aberto para toda a população. Sua entrada será gratuita.

Mais informações sobre o museu podem ser obtidas em sua página.

Fonte: Assessoria