Câmara de Cuiabá recebe exposição de artesanato

Exposição-artesanato.jpg

Artesãos mato-grossenses estão expondo seus produtos no saguão da Câmara Municipal de Cuiabá desde a terça-feira (27/6).

O evento realizado pela Associação Matogrossense de Arte, Artesanato e Mototurismo (AMAAMT), com apoio da de Coordenadoria de Cultura e Resgate Histórico (CCRH) da Câmara, acontece até a próxima quinta-feira (29/6).

Estão à venda produtos feitos com capim dourado, sementes de buriti, adornamento de chinelos, artesanato indígena, dentre outros. Carlão Baquite, um dos expositores, afirma que esta “é uma oportunidade não só de vender, mas também de divulgar o artesanato que tem, principalmente, a cara de Mato Grosso”.

“Nós não trabalhamos com reducionismos, nosso trabalho é holístico e dentro desse prisma é que nós estamos tornando a Amaamt um espaço para artesão sem espaço, mas isso não significa que ela é reducionista porque nós, inclusive, já estamos recebendo e aceitando artesãos de qualquer associação, de Cuiabá, de Várzea Grande, de Rondonópolis, de Aldeias… Nosso trabalho é junto às famílias e às comunidades. A arte não tem barreiras, ela tem fronteiras, porque nós atravessamos as fronteiras com a arte, mas as barreiras a gente quebra”, completa.

De acordo com a assessoria da Amaamt, o objetivo da associação é dar suporte aos artesãos e artistas do estado, que normalmente não tem este espaço. A Câmara também sinalizou este apoio, já que nestes últimos seis meses já foram realizadas ali mais de vinte exposições.

“Normalmente as pessoas vão às aldeias para fazer turismo e é só aí que temos a chance de comercializar. Fora isso, são muito poucos os eventos em MT que possibilitam mostrar a cultura indígena, não só do meu povo, mas também de outros povos. Então muitas vezes aquele artesão faz o artesanato que fica ali guardado e só será vendido quando alguém chegar à aldeia. Isso inviabiliza o desenvolvimento e o crescimento das artes dos povos indígenas, prejudicando uma interação sociocultural que tem o poder de debelar preconceitos, unir os povos e humanizar os corações que perderam a humanidade”, comentou Raphael EkhiriuWina, índio da etnia terena.

“Apoiar e incentivar a cultura popular e local é fundamental para o município, pois a cultura torna-nos mais humanos, mais compreensivos e mais tolerantes às diferenças, não há como pensar em uma sociedade justa sem que seja dado o devido valor às culturas de todos os povos, respeitando ao meio ambiente e por conseguinte a todos nós”, finaliza Justino Malheiros, presidente do parlamento municipal.

A exposição fica aberta à população de terça (27) a quinta (29), das 7h às 13h30. A Câmara Municipal fica na Praça Barão de Melgaço, s/n – Centro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *