Turismo

Homem pré-histórico é atrativo de museu

A réplica de um homem pré-histórico caçador-coletor, em tamanho natural, agora faz parte do acervo do Museu de Pré-História Casa Dom Aquino. 

 
A obra traz a idéia de retorno ao tempo da pedra lascada, onde o objeto de observação é um Ameríndio. O investimento foi de R$ 8 mil, patrocinado pelo Ponto de Cultura do Museu, que leva o mesmo nome, e apoio da Secretaria de Cultura de Mato Grosso (SEC-MT).
 
A escultura, feita em argila pelo artista plástico e escultor, Junne Fontenele Cardoso, está disposta ao ar livre, em meio a milhares de lascas da Pré-História, que unem cultura, arte e educação de modo interativo.
 
“Esta obra vem agregar um valor cultural imensurável à educação. E a responsabilidade aqui depositada pela presidente do Instituto ECOSS (de Ecossistemas e Populações Tradicionais), Suzana Hirooka, no comprometimento com a história e a cultura segue a idéia que a pasta da SEC deseja: de resgatar e agregar valores, mesmo com curto orçamento para se trabalhar pela Cultura”, ressaltou a secretária da SEC, Janete Gomes Riva, que esteve presente na inauguração (27.09).
 
Feita com barro especial e estrutura de ferro, a réplica teve que ser queimada numa temperatura de 1.2 mil graus. “Logo será inaugurado o homem ceramista para compor as esculturas pré-históricas. O museu é em céu aberto e bastante instrutivo, lembrando que é importante ressaltar que os sítios arqueológicos mais antigos da América do Sul estão em Mato Grosso”, frisou Suzana.
 
História 
 
O índio, indígena ou o nativo americano são nomes dados à população da América que viveu antes da chegada dos europeus e descendentes. Para entender melhor, o termo ameríndio é usado a fim de designar os nativos do continente americano, em substituição às palavras “índios”, “indígenas” e outras consideradas preconceituosas.
 
Junne Fontenele 
 
Natural do Estado do Ceará, ela começou a esculpir aos 13 anos, criando pequenas peças em cerâmica, como pratos, rosto de animais, entre outras. Com 16 anos, foi estudar anatomia humana, quando teve identificação no processo criativo. “Criei um estilo próprio, autodidata, sem nenhuma formação superior artística, no qual me identifico como um escultor realista contemporâneo. Como inspiração, uso tema social da atualidade: a dor, fome, miséria, o medo, a paixão, o preconceito e o trabalho o regional. Fontenele já expôs na região Nordeste, na casa da cultura Belchior, em 2003, e na casa da Cultura, em Sobral, no Ceará. Em 2004, mudou-se para Mato Grosso e, residindo em Cuiabá, realizou três exposições coletivas na SEC. Em 2005, expôs no Memorial Praça das Bandeira, e, em 2006, na Casa do Artesão, participou duas vezes consecutivas no “Salão Jovem Arte”, outras duas no “Salão Acubá”, onde foi um dos selecionados. Também professor de Artes e Gestor Ambiental, atualmente trabalha em projetos sociais, além da arte voltada ao realismo, social e cultural.
 
Serviço
 
O horário de funcionamento do Museu de Pré-História Casa Dom Aquino é das 8h às 11h30, e das 13h30 às 17h30, de segunda a sexta-feira. Aos sábados, das 8h às 11h30. O agendamento inclui monitores de arqueologia e paleontologia para grupos acima de seis pessoas.
 
O museu está localizado na avenida Beira Rio, no bairro Dom Aquino, na capital, em frente à Universidade de Cuiabá (UNIC). O contato para agendamento pode ser feito pelos telefones (65) 3634-4858 / 9903-3444 (com Natally) e 9256-8418 (com Meiri). A entrada custa R$ 5 e R$ 2,5 (meia-entrada).
 

DA REDAÇÃO